segunda-feira, 19 de novembro de 2012

A persistência da memória

Para Monica Xavier

Passa-se os tempos, passa-se os lugares
Pode até passar as pessoas, mas não as memórias.
Mas, se não se passa as memórias, e pode-se dizer
Que são pessoas que fabricam as nossas memórias
Por mais que se tenha passado uma pessoa na sua vida
Pelo menos um pedacinho dela ficou.

Podem não ser somente as boas memórias
Mas as pessoas que passaram e saíram de uma forma não tão boa
Nos marcam justamente pelo que de bom deixou.

E há as que passaram, e por mais que não estejam mais presente
Pelo menos fisicamente
Faz com que se passe, cada vez mais, dia-a-dia
Aquele sentimento imenso, que, nascido do amor
Chama-se saudade, que cresce e se fortalece, domina nosso peito com muito ardor.

Um comentário:

Marina disse...

Que ótimo, adorei! Não tem como, nós somos feitos de memórias...também podemos reinventá-las, retomá-las...

Estranha Perseguição

  "As palavras são mais perigosas do que aparentam".   Era o que estava escrito em um pedaço de papel, em tinta vermelha, parec...