segunda-feira, 24 de setembro de 2012

A indecisão do céu

  - E o céu não sabe se ri ou se chora... - murmurou, meio desanimado Lucas.
  Juro que me alarmei! Mesmo falando do jeito dele, nunca pensei que a falta de assunto de Lucas seria tanto, que só restaria falar do tempo.
  - Olha, Pedrinho! O céu não sabe se chuva e  não sabe se raia sol... Chuva e para, chuva e para... Raia sol e vai embora... O céu anda indeciso como nós? Porque assim... Ele não tá totalmente alegre, o sol raia fraquinho, mas também não está totalmente triste, porque chuva só um pouquinho também... Ele tá os dois? Mas acho que é mais triste do que alegre, porque, mesmo que o sol raia um pouquinho, é bem pouquinho mesmo e não leva embora o frio que tá fazendo... Frio é triste, prefiro calor... Se bem que calor toda hora, incomoda... Vish... Não sei o que pensar, acho que vou dormir...
  E mesmo no meio da dia, Lucas se recolheu nessa tarde tristonha e preguiçosa, como se faltasse a energia necessária para ele... Vai ver que ele é uma bateria recarregável, e sua fonte, é o sol, no seu modo de raiar mais forte que existe.

Um comentário:

Marina disse...

Que graça! O céu não deixa de representar a ambiguidade humana...

Estranha Perseguição

  "As palavras são mais perigosas do que aparentam".   Era o que estava escrito em um pedaço de papel, em tinta vermelha, parec...