quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Simplicidade

  Não vou usar palavras difíceis para expressar o que penso.
  E não usarei também palavras vãs.
  Usarei sim do simples, porque o simples é mais acessível, é o que se faz entender.
  Quero chegar aos ouvidos de todos, quero chegar aos olhos de todos.
  Palavras difíceis não vai expressar o que sinto, o que penso.
  Quero comover dos mais simples dos cidadãos aos mais "inteligentes" que existem (ou os que se intitulam assim).
  E se eu transmitir o que penso, me darei por satisfeita.
  Quero falar de amor, ódio, fé, liberdade, justiça e o que mais me vier à mente.
  Mas não, não usarei palavras difíceis.
  Porque o que tenho em mente é acessível, porque o que tenho em mente é transmissível.
  Que pode ser simplesmente um amontoado de palavras, que não, não precisam ser difíceis.

2 comentários:

Marina disse...

lindíssimo! É sempre assim que penso quando escrevo também, e é como as pessoas deveriam tratar a filosofia. Saber expressar bem os conceitos, mas nunca esperar um conhecimento prévio...ótimo, Nati!

Júnia disse...

Adorei, Nati! A simplicidade tornam as coisas mais belas!!

Beijinhos!

Júnia

Estranha Perseguição

  "As palavras são mais perigosas do que aparentam".   Era o que estava escrito em um pedaço de papel, em tinta vermelha, parec...