segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Os pares de óculos

  Lembro sempre das lentes dos óculos.
  Nos enxergávamos sempre por elas, se não fosse pelas minhas, eram pelas suas, se não fosse por de ambos, mas sempre por alguma.
  A sua voz que sempre me embalava, fazendo voltas dentro do meu ser, um movimento que sempre me deixara preso, estagnado, tamanha beleza e ternura que emanava dela.
  Seu cabelo ondulado... Já não sei mais se as voltas que hoje sinto dentro de mim, são as das sua voz ou as de seus cabelos que já não estão mais em minha volta.
  Lembro-me dos óculos, que como nos enxergávamos através deles.
  Mas hoje você os retirou...
  Sim, hoje você se recusa a enxergar.

2 comentários:

Anônimo disse...

NOssa, que... LÍRICOOOOO AHSAUHASUHASUHASHUASUHASHUASUHASHUASUHASUHSAUHASUASUHASHUASUASUHAS #euri

Nat, muuuito lindo, mas teus textos tendem terminar tão deprê D:

Anônimo disse...

amo tanto esse texto...

Estranha Perseguição

  "As palavras são mais perigosas do que aparentam".   Era o que estava escrito em um pedaço de papel, em tinta vermelha, parec...